Flexografia

CARIMBO EM MOVIMENTO

 

Por ser semelhante a um carimbo, a Flexografia é um dos sistema mais versáteis que existe.

Flexografia é um sistema de impressão em que a matriz, clichê de borracha ou fotopolímero, é relevográfica. O sistema pode ser considerado como um bisneto do carimbo. Usa-se tintas líquidas altamente secativas, a base de água, solvente ou curadas por luz UV. Uma de suas virtudes é a flexibilidade para imprimir os mais variados suportes, de durezas e superfícies diferentes e o acabamento pode estar dentro do processo de produção. É um processo bastante semelhante ao da xilogravura e rotogravura.

 

 

 

Sistema Doctor Blade

 

A bomba de tinta alimenta o anilox, rolo de cerâmica onde é depositado a tinta dispensada pela bomba, em constante movimento. Constituído de duas lâminas que retiram o excesso da tinta no “anilox”. O anilox alimenta os clichês, a tinta dos clichês é transportada para o suporte.

 

 

 

Impressão com anilina

 

Não se sabe ao certo onde surgiu a Flexografia. Os ingleses dizem ter documentos comprovando que sua origem data do final do século XIX. Já os registros históricos apontam o surgimento da flexografia nos Estados Unidos, no ano de 1860. A tinta, que inicialmente era um corante a base de anilina, dissolvida em álcool, desenvolveu-se em meados dos anos 50, assumindo o pigmento como elemento corante e agregando valor às exigências técnicas dos produtos impressos. No início era chamado de “impressão com anilina”. Em 1952, no 14º Fórum do Instituto de Embalagens, foi realizada uma votação entre os fornecedores presentes, em que o processo passou a ser chamado de Flexografia.

Impressões em altas tiragens

Recomenda-se o uso do processo flexográfico para impressões de alta tiragem. As tintas são a base de água ou solvente, além destas, ainda existem tintas que "secam" através da cura por luz ultravioleta conhecidas como tintas UV. Usa-se tinta à base de água quando o suporte é derivado de papel e tintas à base de solvente quando o suporte for sintético, cerâmicos e metalizados. Devido à característica de utilizar tinta líquida o sistema de impressão flexográfico é um dos sistemas mais versáteis que existe, a tinta a base de água diminui a poluição e o cheiro forte, pode se imprimir:

 

 

Editoriais  (jornais, tablóides, listas telefônicas);

Embalagens  (celofane, polietileno, polipropileno),

Nylon, poliéster, alumínio, papel, papelão ondulado;

Papéis para presente;

Cortinas para box de banheiro;

Toalhas de papel;

Faixas promocionais;

Copos descartáveis;

Papel pautado;

Cerâmica;

Tecidos.

 

Para cada substrato exige-se um maquinário, tintas e clichês específicos.

 

Impressões em Banda Longa e Larga

 

Sua estrutura robusta e os ajustes precisos em sua fabricação fazem deste equipamento a ferramenta ideal para a indústria de conversão de embalagens plásticas, papel fantasia, banners, impressão de sacos e sacolas plásticas e em especial de tecidos poliolefínicos como sacarias de ráfia.

 

 

 

Evitando problemas no envio de arquivos

 

Para envio de arquivos, as considerações observadas são as mesmas como para qualquer fornecedor, coletar as fontes e as imagens utilizadas no arquivo.

Nos trabalhos onde há trapping (sobreposição do contorno das cores) é conveniente que o arquivo seja gerado em programas de ilustração vetorial, pois estes são mais apropriados para gerar o arquivo PostScript ou PDF que será carregado em um programa específico para esta função. Recomenda-se 3mm para área de trapping.

Evitar degradês para não haver estrias.

Evitar que haja muita sobreposição de cor, pois há muito ganho de ponto.

 

 

 

Tipos de acabamento

 

Verniz Brilho

Para resistência ao atrito.

Verniz Espessante

Utilizado para elevar a viscosidade da tinta.

Verniz Retardador

Composto de solventes, é utilizado para retardar a secagem da tinta. O retardo da secagem proporciona maior resistência da tina ao suporte, e maior resistência ao atrito.

Refile, faca especial e dobra:

Estes processos são adaptados ao processo com as máquinas cortadeiras por exemplo.